DestaquesPolítica

Pedro Cunha Lima é ótimo no discurso e péssimo no exemplo

Integrante do clã Cunha Lima, Pedro tem discurso contra regalias mas não as rejeita.

Em seus discursos recentes o deputado federal Pedro de Oliveira Cunha Lima (PSDB) ataca e detalha dados e números sobre despesa com a máquina pública estatal. Segundo Pedro, mais de R$ 1 bilhão são gastos apenas com carros oficiais, o que daria para construir cerca de 21 mil casas através do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Porém Pedro esquece de mencionar seu gabinete que contribui para tais gastos, quando pagou fatura de locação de um veículo a empresa Ways Rent a Car, para lhe prestar serviços.

Durante entrevista o deputado questionou se não é o sistema que mantêm as desigualdades e acrescentou que o sistema é covarde. “Esse debate não inclui só a classe política. São autoridades de todos os poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. É máquina pública. Vivemos um sistema que explora o mais humilde, que paga imposto e não tem de volta Saúde e Segurança. Temos que nos questionar o que precisa mudar. Será que não temos um sistema que mantêm desigualdades. Esses privilégios mostram um sistema que é covarde. Seja o carro, seja o cargo comissionado, seja o auxílio moradia do juiz. Temos que debater com muita franqueza e espírito de solidário com todo o Brasil”, avaliou.

Porém a fatura do serviço, ao CPF de número: 084.300.054-83, de Pedro de Oliveira Cunha Lima, endereço, Câmara dos Deputados, Anexo III, Gabinete 611 – Brasília- DF, no valor de R$ 3.600,00, para a locação de um veiculo Corolla, placa QFO-6917, no período de 01/11/2017 a 30/11/2017.

Outras incoerências:

Em suas redes sociais, Pedro convoca o Congresso a cortar na sua própria carne recheada de privilégios. Ele defende que os poderes tratem da “Reforma dos Privilégios”, mas esquece que sua família é recheada de regalias, que vão desde seu pai o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) que recebeu até pouco tempo atrás, um total mensal de R$ 57,2 mil, entre salário do Congresso e pensão como ex-governador da Paraíba, deixando de receber tal supersalário só após uma decisão judicial de maio de 2018, algo muito criticado pelos brasileiros, a inúmeras indicações de familiares e amigos em cargos públicos sem concurso.

Com: Paraíba Já
Redação – Litoral.News
redacao@litoral.news

Tags
Mostrar mais

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: